Abear envia medidas ao governo federal para que empresas aéreas continuem operando

Companhias fazem cronograma para a interrupção gradativa de serviços aos passageiros

[Abear envia medidas ao governo federal para que empresas aéreas continuem operando]

FOTO: Reprodução

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) afirmou a gravidade da crise econômica que afeta a aviação comercial brasileira no cenário atual de pandemia do coronavírus. Como forma de minimizar o impacto econômico e preservar a viabilidade do setor, a Abear apresentou diversas medidas ao governo federal. 

Segundo a associação, as companhias aéreas teriam condições de passar pelo momento de crise se a equipe econômica acatasse as seguintes sugestões: redução de impostos PIS/Cofins sobre Querosene de Aviação (QAV) e remoção do mesmo sobre venda de passagens aéreas; desoneração da folha de pagamento, preservando empregos; redução das tarifas do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e Infraero, além da suspensão temporária de pagamentos; restabelecimento da alíquota do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) sobre leasing de aeronaves, motores e peças de 0%; suspensão de PIS/Cofins/Cide em pagamentos feitos no exterior; e linha de crédito para capital de giro, a exemplo do que já ocorre na China, Cingapura e Colômbia.

Reduções de voos 

O Grupo Latam anunciou nessa segunda-feira (16) que todas as subsidiárias reduzirão as operações em 70%. Já a Gol reduzirá sua capacidade total de 60% a 70% até meados de junho. A Azul também está realizando ajustes. A Azul cancelou todos os voos internacionais, exceto os que partem de Campinas.

Todas enfrentam dificuldades por conta da proliferação do vírus e a consequente queda na demanda por passagens aéreas. Para o mercado doméstico, haverá alterações para equilibrar a demanda e a oferta, com suspensão de operações em 11 cidades: Em Bariloche e na Argentina, a interrupção vale entre 21 de março e 30 de junho, já nas cidades brasileiras de Lages, Pato Branco, Toledo, Ponta Grossa, Guarapuava, Araxá, Valença, Feira de Santana, Paulo Afonso e Parnaíba, de 23 de março a 30 de junho.

A Abear também ressaltou que os aviões estão equipados para garantir a segurança dos passageiros contra a infecção. “As aeronaves renovam 99,9% do ar que circula a bordo, contribuindo para que a Covid-19 não se propague. As equipes de atendimento também estão preparadas para atender os viajantes neste cenário”, informou.
 


Comentários

Relacionadas

Veja Também

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!