Bolsonaro brinca com comparação a Biden: 'JB brasileiro e JB dos EUA'

Chefe do Executivo brasileiro comentou formas diferentes que ambos lidaram com Vladimir Putin

[Bolsonaro brinca com comparação a Biden: 'JB brasileiro e JB dos EUA']

FOTO: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PL) brincou nesta segunda-feira (27), ao comparar a forma que ele e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden,  lidaram com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante invasão a Ucrânia.

No Palácio do Planalto, o chefe do Executivo federal afirmou ter conversado com Putin em fevereiro, no início da guerra, enquanto Biden optou por mandar um representante da Organização das Nações Unidas (ONU) somente nas últimas semanas.

“Tem o JB brasileiro e o norte-americano. O norte-americano, há poucas semanas, mandou alguém da ONU conversar com o Putin sobre fertilizantes. O JB brasileiro mandou há quatro meses atrás”, afirmou.

Já o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que Biden tem “seguido a trilha” de Bolsonaro. Além disso, ele afirmou ainda que o Brasil “está à frente” dos EUA. “Os senhores estão vendo o presidente dos Estados Unidos seguindo a trilha do nosso presidente. Pedindo a redução dos impostos federais primeiro e pedindo aos estados que também reduzam os impostos estaduais”, seguiu.

Na declaração, o presidente Bolsonaro afirmou que conversou com Putin ainda nesta segunda-feira (27) por telefone. Na ligação, segundo o chefe do Executivo, foram abordados temas como segurança alimentar e energética.

“Agora há pouco tive um telefonema com o presidente Putin, da Rússia, onde tratamos de segurança alimentar e também de segurança energética com a presença do Sachsida e também do ministro da Agricultura. Assim sendo, o Brasil vai trabalhando, vai progredindo, vai para frente e nós vamos vencendo essas fases. E vamos, obviamente, temos um grande embate pela frente, nos próximos meses, que eu costumo chamar da grande batalha do bem contra o mal”, disse.

O governo brasileiro, no entanto, não comunicou a ligação por meio da agenda oficial de Bolsonaro. O Kremlin, por sua vez, afirmou que o telefonema foi acordado em cúpula do Brics, na última semana.

“Os problemas da segurança alimentar global são considerados em detalhes. O presidente da Rússia fez uma avaliação detalhada das causas da difícil situação do mercado mundial de produtos agrícolas e fertilizantes. A importância de restaurar a arquitetura do livre comércio de alimentos e fertilizantes, desmoronada pelas sanções ocidentais, foi enfatizada”, comunicou o governo russo.


Comentários