Especialista enumera dez dicas sobre o modo de vida dos gatos para seguir e viver bem em 2022

John Gray acredita que os felinos têm muito a ensinar sobre a brevidade da vida e como conduzi-la sem estresse

[Especialista enumera dez dicas sobre o modo de vida dos gatos para seguir e viver bem em 2022]

FOTO: Lina Kivaka/Pexels

O filósofo britânico John Gray acredita que os gatos têm muito a ensinar aos humanos sobre como levar a vida de uma maneira mais leve e sem estresse. Ele diz que  "os gatos nos ensinam que buscar algum sentido no mundo é como buscar a felicidade: uma distração".

Com base nessa lógica felina, o sentido da vida pode ser definido como uma sensação tátil, ou um odor, que pode nos ocorrer casualmente. "E, antes que a pessoa se dê conta, já foi embora", afirma Gray, um dos pensadores contemporâneos de maior destaque mundial e que se dedicou por anos como professor na Universidade de Oxford, na Inglaterra.

“As perguntas sobre o sentido da vida e o segredo da felicidade nos perseguem desde o início da civilização. E arrisco a dizer que, nessa seara, os gatos podem nos dar conselhos tão bons quanto os grandes filósofos", salienta Gray. O filósofo ainda sugere que os humanos sigam o que chama de "filosofia felina" para ter uma vida mais tranquila e leve.

"Todos invejamos o aristocrático desapego com o qual os gatos contemplam o mundo, quão parecem confortáveis em sua própria pele, como se soubessem de algo fundamental que nós, humanos, não sabemos", diz Gray.

John Gray é tão encantado pelo modo de vida dos gatos que escreveu um livro, Filosofia Felina, uma espécie de guia "para uma vida mais autêntica e sossegada", segundo o autor. "Os gatos não têm nenhum interesse em ensinar aos humanos como viver, mas é possível imaginar quais pistas nos dariam sobre como levar uma vida menos estressante".

Assim, com base em seus estudos e observações sobre os felinos, Gray extraiu dez dicas "felinas" , que ele contou à agência EFE, para que o ano que mal começou seja um dos melhores de sua vida. Confira:

1. Não procure convencer um humano a ser razoável
Tentar convencer alguém a ser racional é como tentar ensinar um gato a ser vegano. Os humanos usam a razão para reforçar aquilo em que acreditam, e poucas vezes para checar se aquilo em que acreditam é verdade. Não se pode fazer nada a respeito disso. Assim, o conselho é: se a irracionalidade humana representa uma frustração ou um perigo para você, fuja dela.

2. É ridículo reclamar de que não tem tempo para nada
Se você pensa que não dispõe de tempo suficiente para fazer o precisa ser feito, isso significa que não está usando bem seu tempo. Assim, Gray e seus felinos sugerem que se ocupe com algo que sirva para algum propósito, que faça sentido para você, e que use esse tempo com alegria. "Viva assim e terá sempre tempo de sobra", garante o filósofo.

3. Não busque um sentido para seu sofrimento
Se você se sente triste, evite cair no vitimismo, sentindo pena de si mesmo. Ao contrário, arrisque-se a transformar a tristeza em algo que dê sentido a sua vida. "Não se apegue a seu sofrimento e evite aqueles que o fazem", afirma Gray.

4. É melhor ser indiferente do que sentir-se obrigado a amar
Para o filósofo britânico, poucos ideais são mais danosos do que o de um "amor universal". Para Gray, quando não há amor de um dos lados, é melhor cultivar a indiferença, que eventualmente até pode se transformar em amabilidade.

5. Pare de buscar a felicidade e, assim, talvez a encontre
Gray é taxativo: você não encontrará felicidade perseguindo-a. E isso ocorre porque ninguém sabe, na verdade, o que de fato o fará feliz. "Em vez disso, leve a vida fazendo o que julga mais interessante e será feliz sem ter que fazer esforço algum." 

6. A vida não é um relato
Se você pensa que sua vida é um relato, se sentirá tentado a escrever essa história até o fim. "Mas ninguém sabe como nem quando a vida de uma pessoa chega ao fim. Assim, melhor seria deixar para lá os roteiros predeterminados e viver um dia de cada vez, escrevendo a cada dia uma página nova no livro de sua vida. "Vale mais a pena viver uma vida não escrita do que qualquer história que você mesmo invente para si", assegura o filósofo.

7. Não tenha medo de ouvir a si mesmo
Muitas vezes, somos ensinados a pensar antes de agir, o que, em geral, é um bom conselho. Quando você age por impulso, é provável que esteja obedecendo à crença que interiorizou sem nem se dar conta. Porém, às vezes é melhor ouvir a intuição e seguir aquela vozinha interna que diz: "Quem sabe aonde isso poderia me levar?".

8. Durma pelo simples prazer de dormir
Se existe um conselho que poderia de fato ter sido oferecido por um gato, é este: durma por prazer. Afinal, os felinos gastam boa parte de seu tempo tirando uma soneca. E Gray completa: "Dormir para que possa trabalhar mais ao despertar é uma maneira muito triste de viver. Durma por prazer, não por necessidade".

9. Tenha cuidado com quem se oferece para fazê-lo feliz
Quem se oferece para fazê-lo feliz pode precisar de seu sofrimento porque, sem ele, teria menos motivos para viver. Assim, para Gray, é importante desconfiar das pessoas que ficam dizendo aos quatro ventos que vivem para os outros.

10. Olhe para o mundo sem esforçar-se para encaixá-lo num roteiro 
Quando uma pessoa olha para as coisas sem querer mudá-las, o que em muitas culturas é chamado de "contemplação", ela consegue se permitir vislumbrar a eternidade. Cada momento pode estar completo em si mesmo. "A eternidade não é uma ordem diferente das coisas, mas sim o mundo visto sem ansiedade".


Comentários

Relacionadas

Veja Também

[Edição da exposição ANTÔNIOS reúne obras nacionais e internacionais no Centro Histórico de Salvador! ]

Com visitação gratuita, o tradicional tributo à Santo Antônio conta este ano com doações para as Obras Sociais Irmã Dulce

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!